Estrutura do Aparelho Psíquico

O aparelho psíquico possui três sistemas operacionais mentais, o Inconsciente (Ics), o Pré-Consciente (Pcs) e o Consciente (Cs).
O Consciente é a percepção imediata da própria experiência. O Inconsciente podemos denominar como
conteúdos e processos psíquicos proibidos de penetrarem na "Consciência" e Pré-Consciente, aqueles que
podem tornar-se conscientes.

Na terceira hipótese de Freud, a hipótese Estrutural, cada estrutura mental possui um relacionamento
funcional entre si, e à estas estruturas chamamos de Id, Ego e Superego.
O Id compreende os instintos e seus impulsos, os quais estão presentes em nossas vidas desde o
nascimento.

Com os objetos do mundo externo, estes impulsos dos instintos só têm um sentido, o da gratificação e prazer, mas estes podem causar sérios conflitos com o mundo exterior, pois são totalmente desregrados e o que importa ao Id é obedecer ao rígido princípio do prazer.

O Ego é a estrutura mais conhecida, desenvolve-se a partir do Id, ou seja, "o Ego é aquela parte do Id que foi
modificada pela influência direta do mundo externo". O Ego representa a razão e o senso comum, o nosso
contato com o mundo exterior, nosso jeito de ser, nossa consciência.
O Ego possui a seguinte função: fazer a passagem dos acontecimentos do Id para o mundo externo. O Ego é que decide se estes acontecimentos são perigosos ou não.

Agora vamos falar sobre a estrutura mental onde os preceitos morais são mais poderosos, o Superego.
Quando a Criança tem de dois e meio a três anos e meio, inicia a fase fálica, ou seja, os desejos e impulsos
que a criança experimenta em relação aos objetos de sua vida instintiva são mais expressivos e
principalmente os que se agrupam sob o Complexo de Édipo.

Para uma melhor compreensão do Complexo de Édipo, aguardem nova matéria.
Para resumir, com o término da fase Edipiana, as fantasias originais são reprimidas, mas continuam a
exercer uma influência em quase todos os aspectos da vida mental. Mas este não é o único meio que
influencia a vida futura do indivíduo, ainda tem uma conseqüência muito importante que é a formação do
Superego, que corresponde às funções morais e normativas da personalidade do indivíduo, como
auto-estima, auto-elogio, auto-observação crítica, aprovações e desaprovações de ações e desejos,
arrependimento e reparação de ações etc..

Todas as exigências e proibições morais dos pais, ou mesmo de amas e professores que podem atuar como substitutos desses, influenciam a vida da criança.
Podemos dizer que o Superego consiste nas imagens internas dos aspectos morais dos pais na fase fálica
ou Edipiana.
E assim concluímos um pequeno resumo da estrutura do aparelho psíquico.

Marcos Antonio Pinto

" O conhecimento só produz mudanças na medida em que é também conhecimento afetivo." (Spinoza)
09/99

Voltar